Acentuação Gráfica – Novas regras

A acentuação gráfica consiste na aplicação de certos sinais escritos sobre determinadas letras para representar o que foi estipulado pelas regras de acentuação do idioma. Entre estes sinais estão os diversos acentos gráficos, além do restante dos diacríticos, como o trema, por exemplo.

Acentos gráficos e diacríticos

  • o acento agudo ( ´ ) – colocado sobre as letras a, i, u e sobre o e do grupo em, indica que essas letras representam as vogais tónicas da palavra: carcará, caí, armazém. Sobre as letras e e o, indica, além de tonicidade, timbre aberto: lépido, céu, léxico.
  • o acento circunflexo ( ^ ) – colocado sobre as letras a, e e o, indica, além de tonicidade, timbre fechado: lâmpada, pêssego, supôs, vêem, Atlântico.
  • o til ( ~ ) – indica que as letras a e o representam vogais nasais: alemã, órgão, portão, expõe, corações, ímã.

OBS: Quando seguidas de m ou n, as letras a, e, o representam vogais nasais, comumente fechadas, recebem acento circunflexo, e não agudo. Ex: câmara, fêmur, ânus. A única exceção ocorre nas terminações -em, -ens em que se usa acento agudo [porém, contém, provém, parabéns], a não ser nas formas da 3ª pessoa do plural, quando passa a usar o circunflexo.

  • o trema ( ¨ ) – indica que o u é semivogal, ou seja, é pronunciado atonamente nos grupos gue, gui, que, qui: ungüento, sagüi, seqüestro, eqüino (essa grafia não é utilizada mais atualmente, o trema porém continua a ser aplicado em palavras estrangeiras como sobrenomes, e.g. “Müller”).

Regras básicas

As regras de acentuação gráfica procuram reservar os acentos para as palavras que se enquadram nos padrões prosódicos menos comuns da língua portuguesa. Disso, resultam as seguintes regras básicas:

  • proparoxítonas – são todas acentuadas. Têm a antipenúltima sílaba tônica e, nesse caso, é a sílaba que leva acento. É o caso de: lâmpada, relâmpago, Atlântico, trôpego, Júpiter, lúcido, óptimo, víssemos, flácido.
  • paroxítonas – são as palavras mais numerosas da língua e justamente por isso as que recebem menos acentos. Têm a penúltima sílaba tônica. São acentuadas as que terminam em:
    • i, is: táxi, beribéri, lápis, grátis, júri.
  • us, um, uns, on, ons: vírus, bónus, álbum, parabélum, álbuns, parabéluns.
    • l, n, r, ei, x, ps’: incrível, útil, ágil, fácil, amável, éden, hífen, pólen, éter, mártir, caráter, revólver, jóquei, tórax, ônix, fênix, bíceps, fórceps, Quéops.
    • ã, ãs, ão, ãos: ímã, órfã, ímãs, órfãs, bênção, órgão, órfãos, sótãos.
    • ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de s: água, árduo, pónei, cáries, mágoas, jóqueis.
  • oxítonas – Têm a última sílaba tônica. São acentuadas as que terminam em:
    • a, as: Pará, vatapá, estás, irás, cajá.
    • e, es: você, café, Urupês, jacarés.
    • o, os: jiló, avó, avô, retrós, supôs, paletó, cipó, mocotó.
    • em, ens: alguém, armazéns, vintém, parabéns, também, ninguém.
  • monossílabos tônicos – são acentuados os terminados em:
    • a, as: pá, vá, gás, Brás, cá, má.
    • e, es: pé, fé, mês, três, crê.
    • o, os: só, xô, nós, pôs, nó, pó, só.
  • ditongo – abertos tónicos quando em palavras oxítonas
    • éi: anéis, fiéis, papéis
    • éu: céu, troféu, véu
    • ói: constrói, dói, herói

Esta regra desapareceu (para palavras paroxítonas). Escreve-se agora: ideia, colmeia, celuloide, boia.

Observe: há casos em que a palavra se enquadrará em outra regra de acentuação. Por exemplo: contêiner, Méier, destróier serão acentuados porque terminam em R.

  • hiatoi e u nas condições:
    • sejam a segunda vogal tônica de um hiato;
    • formem sílabas sozinhos ou com s na mesma sílaba;
    • não sejam seguidas pelo dígrafo nh;
    • não forem repetidas (i-i ou u-u);
    • não sejam, quando em palavras paroxítonas, precedidas de ditongo;

ex.: aí: a-í; balaústre: ba-la-ús-tre; egoísta: e-go-ís-ta; faísca: fa-ís-ca; viúvo; vi-ú-vo; heroína: he-ro-í-na; saída: sa-í-da; saúde: sa-ú-de.

  • Não se acentuam as palavras oxítonas terminadas em i ou u (seguidos ou não do s). Palavras como baú, saí, Anhagabaú, etc., são acentuadas não por serem oxítonas, mas por o i e o u formarem sílabas sozinhos, num hiato.

Acento diferencial

O acento diferencial é utilizado para diferenciar palavras de grafia semelhante. Usamos o acento diferencial – agudo ou circunflexo – nos vocábulos da coluna esquerda para diferenciar dos da direita:

  • pôde (pret. perf. do ind. de poder) – pode (pres. do ind. de poder)
  • pôr (verbo) – por (preposição)
  • fôrma (substantivo) – forma (substantivo e verbo)

O acento em “fôrma” pode ser considerado opcional.

Acento dos verbos

Verbos arguir e redarguir (agora sem trema)

Os verbos arguir e redarguir perderam o acento agudo em várias formas (rizotônicas): eu arguo (fale: ar-gú-o, mas não acentue); ele argui (fale: ar-gúi), mas não acentue.

Verbos terminados em guar, quar e quir

Observe: Quando o verbo admitir duas pronúncias diferentes, usando a ou i tônicos, aí acentuamos estas vogais:

eu águo, eles águam e enxáguam a roupa (a tônico); eu delínquo, eles delínquem (í tônico).
tu apazíguas as brigas; apazíguem os grevistas.

Se a tônica, na pronúncia, cair sobre o u, ele não será acentuado: Eu averiguo (diga averi-gú-o, mas não acentue) o caso; eu aguo a planta (diga a-gú-o, mas não acentue).

Os verbos ter e vir
Ele vem aqui; eles vêm aqui.
Eles têm sede; ela tem sede.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.